Sexta-feira, 08 de Abril de 2011

 

O que foi e o que é! A nossa horta era um punhado de terra e, com dedicação e carinho, passou a ser um pedaço de nós... Beijos com que mimámos e fomos mimádos... Beijos da natureza, essa grande mãe que tudo nos dá! Somos pequenos mas vemos e saboreamos o resultados do nosso trabalho. Aprendemos "in loco", com a ajuda da professora, de Encarregados de Educação (e aqui deixamos um agradecimento muito especial ao senhor António e à dona Lídia), com a chuva que rega, com as abelhas que esvoaçam por aqui e por ali. 

 

Em tempos de crise este é um pouco do nosso contributo como cidadãos activos desta sociedade que nos acolheu. Já levámos couves e alfaces para o Centro de Dia, local onde almoçamos.. As favas vêm a caminho! As batatas foram plantadas e não semeadas, como se diz por aí! Pois não se plantam tubérculos!... E sementes vem de semear... 

 

 

 

 

 

 

 

 Também aprendemos, com entrevistas aos mais velhos e com pesquisas na internet -pois também já ouvimos falar em globalização-  que a tradição dita costumes, que vão variando de região em região: as actividades agrícolas, os "rituais" de semeio, plantação e colheita não são algo escrito nos livros mas sim gravados na sabedoria das populações. Não existem regras rígidas na agricultura, existe, isso sim, o trabalho, a experiência e a inovação. Gostamos de aprender com a nossa horta e dela partir para o Estudo do Meio, para a Língua Portuguesa, para a Matemática... Pois é! Será que pesa mais meio quilo de alfaces ou meio quilo de batatas? Ah! É verdade! Também jogámos à "batata quente"!...

 

 

 

 

 http://www.picnik.com/show/id/13563085784_vk36Z

 

Aprendemos a valorizar as sementes, pequeninas como nós, mas que crescerão, como nós... A nossa última experiência foi plantar batatas: questionámos os nossos pais e os nossos avós e até investigámos em livros e na internet!... Depois... mãos à obra: as batatas tinham grelo, é claro, mas sendo tão pequenitas - talvez reflexo do tempo de crise - não necessitaram de ser cortadas! Ficariam reduzidas a nada, como está bom de ver! Antes disto, é bom referir, amanhámos a terra, colocámos adubo natural (da nossa compostagem), abrimos regos e ... Agora é só esperar, como esperam os agricultores, com paciência e resignação, caso as condições atmosféricas façam alguma das suas partidinhas!...



publicado por Telha a telha... às 15:26
mais sobre mim
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO